domingo, 9 de outubro de 2011

Asas (Inspirada nuns versos de "D. Feathers" . . .)

Publicado originalmente em : Asas no blogue "Um dia escrevo mais..."
Inspirado nuns versos de "D. Feathers" de Bettie Serveert

"...
Now the wings have clipped the bird instead
and claimed its head.
..."
imagem do filme Der Himmel über Berlin - 1987 (Asas do desejo) de Win Wenders

Asas(Original em Português por Guilherme Coutinho)
Tenho-nas,
Não me permitem o vôo
Como pássaro

Duas delas que não me libertam
Da razão, da exaustão
De voar parado

Duas delas que uso
Mantendo-me preso
Num vôo sem vento, sem encanto

Sobrevôo rasteiro
Meus delírios, pensamentos
E insanidades...

Asas, minhas asas
Que me servem de carrascos
De algozes, que me condenam
A aspiração do infinito intangível.

Wings (versão de Guilherme Coutinho)

I have them both
And do not allow me the flight
as a bird
Two of them, do not set me
Free
From the reason or exhaustion
Still fly where I stand

I use both
Keeping me trapped
In a windless flight, no charm

Overflight creeping
My delusions, thoughts
And insanity...

Wings, my wings
That serve me as executioners
Or torturers, that condemn me
To the aspiration of the infinite intangible


Wings
(Versão de Dani Maiolo)

I have them
But those, don’t allow me the flight
Like birds

My wings don’t free me
From reason, from exhaustion
From a stopped flying

The two wings I have
Keep me tied
In a fly without wind, without grace

Creeping overflight
My delusions, thoughts
And insanities…

Wings, my wings
Those, that just serve me as tormentors
From tortures, that condemned me
The suction of unachievable infinite


Thanks Dani Maiolo :-)


D Feathers (Bettie Serveert)

domingo, 18 de setembro de 2011

Mais Bettie Serveert - Show de sábado 10/09/2011

Comemorando 20 anos de banda o presente foi pra quem é fã . . .

Tocaram o álbum 'Palomine' inteiro e na sequência de músicas como no disco! 
. . . e mais algumas outras . . .

PALOMINE (1992)

Uma notícia, junto do video de 'Balentine ', no youtube :

"Bettie Serveert - Balentine @ Paradiso, Amsterdam (The Netherlands)

'Bettie Serveert plays Palomine' - 20th birthday party

Recorded live, September 10, 2011

This summer Bettie Serveert has their 20th birthday and decided to celebrate by playing the complete first and successful album 'Palomine'. As an extra surprise the band played in the original line-up and fans could vote for the encores. When you closed your eyes it was not difficult to be back in the early ninetees ... the kid's allright!

Bettie Serveert is: Carol van Dyk (lead vocals, guitar), Peter Visser (lead guitar, vocals), Herman Bunskoeke (bass, vocals) and Berend Dubbe (drums).


Play out loud and enjoy!"

. . . e o show foi neste lugar


Uma música do primeiro Álbum da banda : 'Balentine'
live@paradiso 10/09/2011


Balentine, if we could turn back the time
We would've made the same mistakes all over again

Balentine, well it could all turn out fine
If you would try to understand what's on my mind


Oh, balentine, my dearest valentine
Well i could learn a lot from you
Cause no one does the things you do
And i don't really want them to


Balentine, if we could turn back the time
We would've made the same mistakes all over again


Balentine, well it hurts me sometimes
To think that you and i have wasted all this time

Oh, balentine, my dearest valentine
Well i could learn a lot from you
Cause no one comes as near as you
And i don't really want them to


Traduzindo mais ou menos . . .

Balentine , se pudessemos voltar no tempo
Nós cometeríamos os mesmos erros, tudo de novo

Balentine, bem que poderia dar certo
Se você tentasse entender o que se passa pela minha cabeça

Ó, Balentine, meu querido namorado
Assim eu poderia aprender muito de você
Porque ninguém faz as coisa que vocẽ faz
E eu, nem quero que façam

Balentine , se pudessemos voltar no tempo
Nós cometeríamos os mesmos erros, tudo de novo

Balentine, assim às vezes me dói
Pensar que você eu desperdiçamos todo este tempo

Ó, Balentine, meu querido namorado
Assim eu poderia aprender muito de você
Porque ninguém chega tão perto como você
E eu, nem quero que cheguem

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Sower & seeds

Uma canção de Bettie Serveert do Álbum


Sower & seeds (Carol van Dyk) - Tradução livre

Semeador e sementes

Bem, é mais vasto do que profundo
E é muito maior do que eu
Alguma coisa que me guia
Nós somos o semeador e as sementes.

Todas as mentiras sem arrependimento
Você me pegou desprezando a escala Richter.
Havia algo em minha vida que
Me fazia lembrar de você.
Todos os valentões também, na escala Richter.

Mas o cardápio não é a refeição
E o toque não é o sentir, então
Não me faça sentir da maneira que você sente,
Porque não há nada neste mundo
Que me fará sentir como você

O que você está procurando?
O que você vai encontrar na escala Richter?
Você foi devidamente avisado
Que não sou eu nem você
Quem sabe o que está fazendo na escala Richter.

Mas o cardápio não é a refeição
E o toque não é o sentir, então
Não me faça sentir da maneira que você sente,
Porque não há nada neste mundo
Que me fará sentir como você

Porque eu não sou esse tipo de garota
E não há nada neste mundo que você possa fazer
Que vai me fazer mudar meu ponto de vista

Embora para você seja tudo a mesma coisa
Ó, não me faça sentir da maneira como você sente,
Porque não há nada neste mundo
Que me fará sentir como você


A escala Richter é utilizada para medir a intensidade de sismos (popularmente conhecidos TEREMOTOS)

terça-feira, 6 de setembro de 2011

um pedacinho (da letra) de uma música

" . . . 'cause we don't have much to show for life,
Not a perfect home, not a perfect guy*.
But the wide eyed fools know it isn't easy,
'cause we've done it all before.
It's gonna take an awful lot of courage and some more.
But we're not so tough and no, we're not too proud.
Freaks like us know the in's and out's . . ."
(Carol van Dyk - Bettie Serveert) em Wide Eyed Fools

*originalmente é wife

Traduzindo mais ou menos . . .

" . . . Porque não temos muito a mostrar da vida,
Nenhum lar perfeito, nem um cara* perfeito.
Mas tolos de olhos bem abertos sabem que não é fácil,
Porque já fizemos de tudo antes.
Precisaremos de uma coragem assombrosa, muita e um pouco mais.
Mas não somos tão difíceis, não somos muito orgulhosos.
E esquisistões como nós sabem o que está por dentro ou por fora . . ."

Pra quem quiser ver o video/ouvir a música . . .

domingo, 4 de setembro de 2011

O inferno são os outros (uma citação de Sartre...)

E uma música de Bettie Serveert
Hell = Other people (Carol van Dyk) - Tradução livre

O inferno são os outros

Você diz que sua vida é um completo desperdício
Me disse isso na escada de incêndio
Um pouco antes de acender um cigarro

Bem, você tem sido sempre um circuito em alta tensão
Nunca assertivo, mas sempre tão inspirado
E me mata ver você assim tão triste

Você está sempre dizendo a todos
Que o estorvo sou eu
Mas adivinha quem quebrou o feitiço
O inferno são os outros
Aos diabos com os outros

E você sem dizer uma palavra por dias,
Acho que é só o seu jeito enfadonho
Indo e vindo o tempo todo

Mas é difícil manter uma mente aberta
Quando você continua mudando o tempo todo
De repente recebendo não doando

É sempre vivendo e aprendendo
Mas sou eu quem se transformou
E adivinha quem quebrou o feitiço
Inferno são os outros
Aos diabos com os outros

Na escala Saffir-Simpson você é 5
Mais afiado que uma unha quebrada
Eu estou grata por continuar viva e contando a história
Inferno são os outros
Aos diabos com os outros

A escala Saffir-Simpson é utilizada para medir intensidade de furacões... vai de 1 a 5.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Fale o que quiser...

Já que não estou
A fim de escrever agora
Escreve aí!

Fernando Pessoa


"(...)
Minha loucura, outros que me a tomem
Com o que nela ia.
Sem a loucura que é o homem
Mais que a besta sadia,
Cadáver adiado que procria?"